Veja como utilizar mapas mentais

O que são mapas mentais, para que servem e como usá-los. Estas são suas dúvidas? Este artigo pretende respondê-las.

Mapas mentais são representações gráficas utilizadas para apoiar seus pensamentos em torno de um tema ou conjunto de temas específicos. Não existem restrições, sua imaginação é o limite. Desde simples listas de tarefas até o gerenciamento de um grande projeto, qualquer pensamento pode ser beneficiado por um mapa mental.

O principal objetivo em construir uma representação gráfica de algo é a simplicidade em visualizar os pontos chaves, suas dependências, ramificações e até perceber erros de lógica que algum processo possa conter. Mas este recurso tem servido também para facilitar a memorização de conteúdos de todo tipo.

Você pode usar para seus estudos, reuniões, brainstorm de projetos. Tudo que vai precisar é digitar as palavras ou frases relacionadas, podendo incluir até imagens, em alguns aplicativos. Automaticamente o mapa vai criando as ligações entre os conteúdos. Vamos imaginar que você precisa entender o fluxo de trabalho em sua empresa, quem sabe buscando gargalos ou possibilidades de expansão. Ou quer definir seu dia em 3 blocos para distribuir suas ações entre eles. Quem sabe criar um mapa mental apenas para entender e memorizar algum conceito ou combinar um churrasco com sua equipe.

A maioria das ferramentas para criar os mapas está em inglês, algumas já encontramos parcial ou totalmente traduzidas para o português. No geral possuem versões pagas e gratuitas com diferentes restrições. Claro que todas estão sempre melhorando, aumentando seus recursos e se reinventando o tempo todo. Desta forma, se você já tentou usar no passado e não se adaptou, dê uma segunda chance para os mapas mentais. Quem usa garante que não vive mais sem.

Todas as plataformas de mapas mentais oferecem ajuda e tutoriais para iniciantes. Resista a tentação de mergulhar em seus primeiros mapas sem espiar os vídeos introdutórios da ferramenta. Eu garanto que sua experiência pode ser muito melhor depois de saber no mínimo o básico dos recursos.

Mas, atenção, se não estiver usando os tutoriais oficiais da ferramenta, certifique-se de que é algo novo (pelo menos do mesmo trimestre da data de sua consulta). Tudo muda muito rápido em ambiente virtual e tutoriais antigos só vão confundir você.

Eis uma pequena lista de opções:

Coggle: ferramenta de criação de mapas mentais muito top. Por mais que pareça ser super simples, ela é muito poderosa, afinal você pode criar limitados mapas mentais através dele, além de poder compartilhar para que mais pessoas também editar junto com você.

MindMeister: é muito parecido com o FreeMind (um dos mais antigos e famosos) mas diferente dele, funciona online, sem a necessidade de download. Além disso é o mais bem traduzido até agora.

Mindomo: combina a simplicidade com recursos mais avançados como inclusão de áudio e vídeo.

RealTimeBoard: possui opções de compartilhamento e interação com o facebook. Veja mais alguns exemplos de mapas.

SpiderScribe: reúne os recursos dos anteriores conservando a leveza dos primeiros.

Esse eu criei para visualizar melhor a semântica do GTD.

Caso não se adapte as ferramentas típicas para criação de mapas mentais, recomendo o Canva. Ele é um software de design gráfico gratuito, fácil de usar e completamente online (não é necessário baixar nenhum programa). Criado há 5 anos, já conta com 15 milhões de usuários em 190 países. Para se ter uma ideia, 20 designs são criados a cada segundo com esta ferramenta!  Nele você poderá criar mapas mentais mais flexíveis em relação as ferramentas tradicionais. 

Então, ficou animado? Envie os seus para compartilhar conosco.

Abraços,

Marcia.Sisi@CallDaniel.com.br

Especialista em Gestão do Tempo e Produtividade.

Imagens : mindomo.com, spiderscribe.net, realtimeboard.com

Em tempo vale citar:

Mapa mental, ou mapa da mente é o nome dado para um tipo de diagrama, sistematizado pelo inglês Tony Buzan, voltado para a gestão de informações, de conhecimento e de capital intelectual; para a compreensão e solução de problemas; na memorização e aprendizado; na criação de manuais, livros e palestras; como ferramenta de brainstorming (tempestade de ideias); e no auxílio da gestão estratégica de uma empresa ou negócio.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *