Menos estresse, é isso que queremos

O estresse está presente em nosso cotidiano, todos nós percebemos que está nos atacando em alguns momentos do dia. Os cientistas já provaram quão malvado ele pode ser para seu corpo, para sua mente. Mas o que exatamente ele está fazendo? Existem maneiras mais indicadas para lidar com o estresse além das que cada um de nós vem usando para tentar contê-lo? Descobrir isso pode evitar muitas doenças letais causadas pelo estresse.

Com este objetivo vamos tentar aqui entender um pouquinho mais sobre como o estresse afeta nosso organismo, física, emocional e mentalmente.

Para conseguir ter menos estresse primeiro vamos separar o “bom” do “ruim” considerando que o bom pode até melhorar sua vida e o ruim quer apenas acabar com ela. O estresse considerado bom é aquele que passamos ao iniciar um namoro, brincar numa montanha russa ou vencer alguma disputa. Ele nos envolve e domina tanto quanto o outro, mas não causa prejuízos, apenas nos deixa mais alerta.

O estresse ruim pode ser dividido em 2 tipos: agudo ou crônico. Identificamos o agudo em situações passageiras e o crônico quando ficamos sob seu domínio durante longos períodos.

Estresse Agudo

Ele se apresenta durante um breve momento de susto, por exemplo. É uma reação imediata do organismo para decidir se luta ou foge, é um instinto. Você pode sentir antes de uma reunião importante de negócios ou qualquer outra novidade esperada ou inesperada. Este tipo de estresse permanece apenas até “a poeira baixar”, é de curta duração. Apesar de curto ele será prejudicial se acontecer com muita frequência. Neste caso fique atento para, por exemplo, não assistir filmes de terror todos os finais de semana ok?

Estresse Crônico

Neste tipo encontramos o verdadeiro malvado da história. Sua identificação está em situações mais duradouras que podem até ser percebidas como permanentes pelo indivíduo. Ele corrói a esperança, a fé, a coragem e provoca todo tipo de distúrbio. Mergulhamos nele quando nos sentimos obrigados a trabalhar em algo que não gostamos, não vemos perspectivas de crescimento ou não nos sentimos valorizados o suficiente. Permanecer num relacionamento infeliz ou não conseguir estabilizar sua vida financeira para que cubra suas necessidades também costumam ser fortes recrutadores de estressados crônicos.

Veja agora o que FAZER e NÃO FAZER para ter menos estresse.

O que você NÃO deve fazer:

      • Negar. Não negue os sintomas do estresse como o desinteresse ou desânimo.

      • Fugir. Sair de perto, fazer que não ouviu ou se embebedar.

O que fazer para ter menos estresse:

      • Reconheça sua presença e identifique os principais danos que está trazendo para você. Esta consciência o impulsiona a agir diligentemente.

      • No estresse agudo você pode evitar as situações que identificou como causa ou, nesta impossibilidade, recorra aos exercícios de respiração. 5 ciclos de respiração longa e profunda, com os olhos fechados, diminuem sua frequência cardíaca, trazem clareza as ideias, freiam sua língua e não vão tomar mais de 30 segundos de seu tempo. Outra boa alternativa é determinar um horário certo para enfrentar o risco, assim tem tempo para preparar-se adequadamente.

      • Já no estresse crônico nenhum paliativo vai resolver o problema mas pode ajudar a enfrenta-lo com mais equilíbrio. Estar no escritório imaginando a brisa do mar, ouvindo os sons da mata, olhando a imagem de quem você ama ou sentindo aromas tranquilizantes trará forças para lidar melhor com o que te estressa. Outra técnica muito eficiente é “pausar a fita”, desligar a reação automática substituindo por outra inusitada como, por exemplo, dizer “maravilhoso dia” ao invés de “bom dia”, “você é um gênio” no lugar de “você é um chato”, abraçar calorosamente depois de um simples aperto de mãos. Visualizar por outros pontos de referência traz ações e resultados diferentes para as mesmas situações. Dominando mentalmente o estresse seus poderes prejudiciais físicos e emocionais diminuem.

Vale citar aqui que uma fonte frequente de estresse está nos relacionamentos humanos. Nestes casos para ter menos estresse, aprender a dizer não é uma ótima prática, mas não é a única. Como você tem administrado seu estresse? Compartilhe aqui nos comentários.

Abraços

+ Produtividade – Estresse

Marcia.Sisi@CallDaniel.com.br

Especialista em Gestão do tempo e Produtividade

Imagem: nashvilleonthemove.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *